Ciências

OMS declara surto de varíola dos macacos como emergência global

Mais de 16 mil casos de varíola de macaco foram notificados em 74 países desde maio (Foto: Divulgação)

Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesse sábado (23) que a varíola do macaco é uma emergência sanitária global. O surto da doença em mais de 74 países foi classificado como uma situação extraordinária. Juiz de Fora registrou seu primeiro caso na sexta-feira (22). O paciente segue em isolamento domiciliar, “mantendo bom estado geral de saúde”, segundo informou a Secretária de Saúde.

O reconhecimento feito pela OMS deve contribuir para os governos fazerem investimentos para conter a doença e aumentar a corrida por vacinas. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, mais de 16 mil casos de varíola de macaco foram notificados em 74 países desde maio.

No momento, mortes só foram anunciadas na África, com uma cepa mais perigosa do vírus em circulação na Nigéria e no Congo.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, foram registrados até agora 607 casos de varíola dos macacos. Todos os pacientes são por órgãos regionais de saúde. A doença já alcançou 13 estados e o Distrito Federal, sendo São Paulo lidera o número de infectados, com 438 casos, seguido pelo Rio de Janeiro (86) e Minas Gerais (33).

“De forma resumida, temos um surto que se espalhou rapidamente pelo país em novos meios de transmissão que pouco entendemos e que atendem aos critérios de classificação internacional de saúde”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, em coletiva realizada na sede do órgão.

Ele tomou a decisão de classificar o surto como emergência global mesmo sem um consenso entre os membros do comitê. É a primeira vez que o chefe da agência de saúde da Organização das Nações Unidas (ONU) toma essa decisão.

Tedros espera que, com  declaração de uma emergência global, seja possível aumentar  a coordenação entre os países e reforçar os mecanismos de busca ativa de casos e implementar medidas para ajudar a conter a circulação global do vírus.

Outra preocupação da OMS se refere ao fato de que a doença possa ampliar o estigma em relação a um grupo específico da população. A principal especialista da órgão em varíola dos macacos, Rosamund Lewis, revelou recentemente que 99% dos casos fora da África são em homens, sendo que 98% desses têm relações sexuais com homens.

Médicos suspeitam que os surtos na Europa e na América do Norte foram espalhados em festas na Bélgica e Espanha. “O surto pode ser parado. Mas o estigma é tão perigoso quanto o vírus”, disse Tedros.