Publicidade
ConjunturaEleições

Margarida e Betão refutam declarações de Zema sobre o PT

Margarida e Betão criticam governador pelo desconhecimento (Fotos: PJF e ALMG)

Por meio de um vídeo divulgado em suas redes sociais, a prefeita Margarida Salomão (PT) tratou as declarações do governador Romeu Zema como inverdades e informações equivocadas. Para ela, a informação de que o ex-presidente Lula (PT) nada fez por Juiz de Fora e pela Zona da Mata revela desconhecimento. “O governador está muito mal informado”.

Margarida citou os investimentos realizados na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) durante os governos do PT. Em 2012, no reitorado de Henrique Duque, que tinha como presidente da República, Dilma Rousseff, foi anunciado um pacote de investimentos de R$ 530 milhões (R$ 1,2 bilhão corrigido pelo IPCA), o maior da história da instituição.

A prefeita também mencionou as obras viárias do município, o projeto de despoluição do Rio Paraibuna e a primeira fase do Hospital Universitário da UFJF inaugurado por Lula em 2006.

O deputado estadual Betão (PT) disse que a fala do governador de que “PT e mineiro nunca foi uma mistura que deu certo” preocupa muito, mas não surpreende. “Só mostra que ele, mesmo com quatro anos de gestão, ainda desconhece a realidade dos mineiros e principalmente de regiões como a Zona da Mata e de municípios como Juiz de Fora”.

Betão enumerou ações realizadas nas gestões do PT no estado e especificamente em Juiz de Fora. “Foi com o PT, que ele (Zema) gosta tanto de atacar, que mais de um milhão (1.091.480) de famílias (mineiras) foram atendidas até 2016 com o Bolsa Família”.

Na educação, o deputado criticou os atuais cortes no MEC (Ministério da Educação) na ordem de R$ 2,4 bilhões e o desmonte promovido por Bolsonaro na pasta. Como contraponto, ele disse que o PT investiu para que, em Minas Gerais, mais de 18 mil alunos tivessem acesso às bolsas do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

“Isso sem contar que foi nos governos do PT que a gente viu, de verdade, incentivo à saúde, com a criação do Samu, do Farmácia Popular, programas que estão sendo retaliados pelo atual presidente e chancelado pelo governador”, criticou o deputado.

Por fim, Betão recomendou a Zema que estude as realizações do PT em Minas Gerais e que analise o resultado das urnas no primeiro turno. “Falar que o PT é um partido que não combina com Minas Gerais é ignorar a vontade de 48,29% que foram às urnas no primeiro turno votar em Lula. Da escolha de um eleitorado por um candidato que teve mais votos em 630 municípios mineiros”.