Publicidade
Conjuntura

Margarida prepara mudança no plano de cargos, carreiras e vencimentos da Prefeitura

Mudança busca tornar carreira no serviço público municipal mais atrativa (Foto: PJF)

Técnicos da Prefeitura de Juiz de Fora trabalham na revisão do plano de cargos, carreiras e vencimentos do funcionalismo público municipal. A mudança, segundo a prefeita Margarida Salomão (PT), busca aumentar os salários iniciais e harmonizar as alterações pontuais realizadas nos últimos anos.

“Hoje, como você vem de muitas gestões fazendo acertos, na verdade, temos um plano que é um verdadeiro patchwork (trabalho com retalhos), que acaba sendo muito pouco interessante e muito pouco atrativo”, explicou a prefeita, durante conversa com os jornalistas após as eleições.

Ela considerou o modelo atual como defasado. “As remunerações iniciais são muito baixas. Há uma defasagem enorme em relação às remunerações finais.” Isso acaba impactando o recrutamento de profissionais para o serviço público municipal, notadamente na área da saúde.

“Funcionários da saúde são difíceis de substituir. A remuneração inicial é muito baixa”, argumentou Margarida, que vê uma saída para a questão com a retomada do “Mais Médicos” pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Pelo programa, os médicos são remunerados pelo governo federal.

Caso a iniciativa não seja reimplantada, a prefeita disse que “teremos que dar um jeito”. Ela insistiu, no entanto, que o mercado de saúde no Brasil é muito aquecido e que Juiz de Fora, por ser um polo de prestação de serviços dessa área, vive uma situação ainda mais específica. “Há muita dificuldade de recrutamento.”

A expectativa, segundo a prefeita, é de que a mudança do plano de cargos, carreiras e vencimentos seja encaminhada para a Câmara Municipal em fevereiro de 2023. Antes a proposta será debatida com os representantes do funcionalismo público municipal. “Vamos apresentar aos sindicatos e às associações de trabalhadores. Queremos conversar com eles”.

Margarida revelou que atualmente na administração direta são 5.600 servidores de carreira, mas que esse número chega a 9 mil quando se soma com os temporários. O problema é que esses temporários não contribuem para o regime próprio de previdência (JFPrev – Juiz de Fora Previdência).

A expectativa é de que, com a homologação dos dois concursos do magistério público municipal em andamento, haja uma significativa redução dos temporários, com aumento base de contribuição previdenciária local. Ainda assim, segundo a prefeita, é necessário “atualizar a organização do trabalho” na Prefeitura. “Precisamos fazer essa atualização a bem do serviço público.”